• Ana Carina Nunes

Arterapia - Colorir e Pintar ajuda a relaxar


Colorir é uma atividade que costumamos associar às crianças. Conforme crescemos, vamos deixando de lado as canetas e os lápis de cor – a não ser para marcar ou sublinhar textos. Mas a atividade de colorir pode ter benefícios para os adultos graças a suas propriedades destressantes. Gera bem estar, tranquilidade e estimula áreas cerebrais ligadas à motricidade, aos sentidos e à criatividade. Em alguns países europeus, as editoras começam a explorar este potencial com cadernos de colorir para adultos. Mas bem antes dos livros para colorir, provavelmente já fez rabiscos num caderno ou folha de papel para passar o tempo, sem talvez perceber que esta atividade era bastante relaxante. E não é à toa que muitos pais dão lápis e papel para as crianças quando elas estão muito agitadas, e os pequenos ficam por horas, bem comportados e focados nos seus rabiscos.

Um dos primeiros psicólogos a aplicar o colorir como técnica de relaxamento e de interpretação da mente foi Carl Gustav Jung, no começo do século 20. Ele usou mandalas: desenhos circulares com formas concêntricas, similares aos rosetões das igrejas góticas, que têm origem na Índia. Um fato curioso é que Carl Jung estudou a arte de colorir mandalas. Segundo ele, as imagens circulares exercem um poder curativo sobre a alma e essa é a magia das mandalas. É por isso que a maioria dos livros vendidos atualmente incluem representações fascinantes com formas circulares. Além disso, muitos psicoterapeutas têm demonstrado os efeitos benéficos da arte para ajudar os seu pacientes com queixas psicológicas, já que a arte em todas as suas vertentes (pintura, dança, música, escrita, teatro, etc.) liberta a subjetividade do indivíduo. Deste modo, é possível usar a arte para resolver conflitos, problemas de comunicação, dificuldades de expressão e muitos outros aspectos psicológicos.

A atividade de colorir ativa áreas distintas dos dois hemisférios cerebrais: tanto a da lógica, por causa das formas, como a da criatividade, na mistura de cores. Além disso, são estimuladas as áreas do córtex cerebral ligadas à visão e à motricidade fina (coordenação necessária para realizar movimentos pequenos e precisos). Ao desenhar recorre-se ao hemisfério direito do cérebro, que é considerado o emocional e leva ao raciocínio criativo e intuitivo. Por isso, além de desestressar, esta atividade também ajuda a desenvolver habilidades como a criatividade, a emoção e a percepção, pois irá começar a observar mais os objetos, as pessoas, as paisagens e a imaginar que tudo pode virar um bela obra de arte.

Colorir, ou o simples ato de pintar uma superfície em branco, tem algo mais do que um propósito de criação. É um exercício de libertação, de conexão com o nosso eu interior e tem efeito desestressante porque, ao nos concentrarmos nessa atividade, afastamos-nos do que nos preocupa. Além disso, remete-nos à infância, um período em que seguramente a maioria sofria muito menos com o stress. Isso gera bem estar imediato, de maneira inconsciente., serve para entrar em um estado mais criativo, mais livre. Também serve para conectar-nos com os nossos sentimentos, pois escolhemos cores e intensidades de acordo com nosso estado de espírito.

A prática do desenho ou pintura pode ser feita por qualquer pessoa, simplesmente com lápis e papel, ou com tintas, pincel e tela. Algumas pessoas pensam que o investimento é alto para ter este hobby, mas isso não é verdade. Você não precisa adquirir muitos materiais logo de início, mas pode ir os adquirindo à medida que se faz necessário. Outro pensamento errado é: eu não tenho talento para isso, então não vale a pena fazer. Nenhum hobby se faz apenas por talento. Nós praticamos hobbies porque gostamos e nos dá prazer, ajudando a desestressar da rotina cansativa em que vivemos. Por isso, veja se o desenho ou a pintura são atividades que lhe dão prazer e, se assim for, invista seu tempo nisso!

Este sábado foi usufruir de um prenda muito simpática que foi um workshop de pintura do lxpaint. A ideia era fazer uma réplica da "Noite Estrelado" do Van Gogh.

O quadro A Noite Estrelada foi criado com elementos da memória de Van Gogh, sendo que a maioria de suas obras foi pintada com a observação de paisagens. Enquanto esteve no asilo, o artista holandês dedicou-se à pintura das paisagens que viu em Provence. Naquele período, o pintor rompeu com sua fase impressionista, apresentando um estilo bastante característico, em que predominam fortes tons primários como o amarelo, que tinha significados próprios para Van Gogh. O quadro é dividido em face horizontal por uma linha e na vertical pelo cipreste. A comuna francesa apresenta-se ao longe, com casas bem pequenas, contrastando densamente com o cipreste visto em 1º plano. Foi pintado de forma curvilínea e as pinceladas integram-se de maneira ritmada acima da superfície da imagem. Causando uma sensação agitada de espiritualidade e luz, a cidade, o cipreste o e céu fantástico se integram plenamente.

Na verdade decidi fazer algo mais personalizado e soltei a minha criatividade. O que vós posso dizer e que quando desenhamos ou pintamos exercitamos a mente. Em primeiro lugar, porque procuramos informações, internalizamos o desenho e escolhemos as cores de acordo com o nosso gosto pessoal e personalidade. Enquanto desenhamos, meditamos, organizamos as ideias e liberamos as tensões… Pode haver algo melhor?

Aqui fica a minha 1ª obra de arte :)

Por isso, não se acanhe, solte a sua imaginação e aproveite todos os benefícios que pintar lhe pode trazer. Aconselho um ambiente tranquilo, com música relaxante, para deixar fluir a cor e o traço.

Experimente e viva saudavel-mente!

#pintar #colorir #terapia #relaxar #criatividade #destressar

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey