• Ana Carina Nunes

É preciso Viajar!


Esta semana venho falar-vos das minhas férias e porque gosto tanto de viajar. Efectivamente não vou descrever exaustivamente o meu plano dos últimos 10 dias pela Alemanha mas explicar-vos o propósito que é viajar sempre que posso.

Todos sabemos que viajar é realmente uma das oportunidades mais incríveis que temos. Viajar é como abrir os olhos da alma. É expandir nossa energia e conectá-la com tudo o que o mundo pode oferecer. Viajar não é simplesmente ir de um lado para outro. Significa muito mais do que isso.

É olhar a vida por outros ângulos. É experimentar o novo, o inusitado, o diferente. É sair da rotina. Quebrar paradigmas, derrubar preconceitos, mergulhar em novos conceitos. É viver em outros horários, ouvir idiomas indecifráveis, sentir outros cheiros.

E, é incrível como cada um faz a “sua” viagem! Mesmo que duas pessoas tenham ido juntas, trilhado as mesmas calçadas, cada uma vive aquele momento de acordo com a sua história de vida. Com as suas percepções, com seus olhares. Por isso para cada um a viagem é única (diria singular!)

Muitos acham que viajar é preciso apenas para fugir da realidade, para esquecer os problemas do dia-a-dia, para descansar.

Mas, para mim, é uma maneira de me encontrar. De entrar em contato com sentimentos profundos, de descobrir, de aprender e ver o que nunca imaginei que existia.

Viajar é preciso porque saímos do nosso mundo e vemos outras possibilidade de ser e ter. Outras realidades, outras maneiras, outros costumes, outras culturas, outras classes, outras línguas… para sair da bolha, para perceber outros modos de ver o mundo, tentar compreende-los e entender que a sua visão de mundo também é relativa. Porque só assim percebe que a sua cultura está muito mais em si do que imagina. E que toda diversidade cultural existente na terra é o bem simbólico mais precioso que a humanidade carrega. E isso contribui para sermos menos preconceitosos, sermos mais humildes e mais empáticos com o próximo.

Viajar é preciso porque nos enriquece. Cerro que também gasta dinheiro mas ganha em todos os sentidos: mentalmente, visualmente,energicamente, organicamente. Ao viajar consegue conhecer e viver coisas e situações que contribuem para seu crescimento pessoal e experiência de vida. Por exemplo para experimentar sabores, texturas, para quebrar conceitos, para descobrir maravilhas que nem imaginava existirem.

Viajar é preciso, pois, estando ausente, aprende a dar valor a tudo aquilo que na sua rotina é normal. Porque sente falta da sua almofada, da comida de um parente, da voz de alguém especial, da sua casa.

Viajando aprende a dar mais valor ao que geralmente não faz falta. Para desapegar, para ver que o que é supérfluo pode virar peso e atrapalhar a caminhada.

Viajar é preciso porque não controla o que acontece longe da sua realidade. Pode ter que lidar com imprevistos, com o desconhecido, com mudanças. Saindo da sua velha e boa "zona de conforto", conseguir desenvolver habilidades que nem imaginava ter e assim, se reinventa. Já dizia uma velha frase, que a vida só começa quando saímos da nossa zona de conforto. E faz sentido.

Viajar serve para perder a identidade (nem que seja temporariamente) e para deixar de ser entendida, para sentir o gosto bom de ser estrangeira – livre e desprotegida. E para se tornar uma criança de novo, aprendendo a descodificação do mundo do começo. E perder a própria personalidade por não conseguir se fazer entender, ou aprender a usar a linguagem corporal e conseguir revelar a própria alma pelo olhar.

Viajar serve para lavar a alma, para sair de um ciclo vicioso, para interromper o destino e (des)construir a própria história. Para colorir a existência, limpar o pensamento, mudar de assunto e desvendar caminhos alternativos. Viajar serve para finalizar. Viajar serve para recomeçar, para se perder e se encontrar. Viajar serve para se resgatar ou se reinventar.

Viajar serve para ter vontade de voltar Ou, quem sabe, de ficar! Viajar serve para quebrar o comodismo que cega os dias. Para renovar as energias, romper a rotina, mudar o ritmo, para se desligar de tudo e desacelerar!

Para conseguir trazer boas lembranças na mala é preciso saber gerir sua experiência de tal modo que ela garanta bons frutos. Entregue-se sem preguiça, com leveza nas expectativas e sem tabus quanto às barreiras culturais que inevitavelmente aparecerão. A recompensa será enorme. A bagagem virá carregada de boas histórias.

Sabia que a paixão que uma viagem desperta depende muito mais da sua disposição mental do que do destino em si? Então, abra-se. Deixe o novo bater à sua porta. Solte as suas amarras e entre num mundo de possibilidades infinitas. Leve a alma para passear. Permita-se descobrir novos mares, antigas civilizações, povos exóticos, culturas misteriosas, lugares remotos. Pois, viajar pode se traduzir num grande prazer!

Quem gosta de viajar, quem está sempre a viajar ou com a próxima ideia de viagem na cabeça, sabe que viajar pode servir para tudo isso (e mais um pouco), certo?

Faça os planos para sua próxima viagem e viva saudavel-mente!

#viajar

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey