• Ana Carina Nunes

Como combater o stress com hábitos saudáveis?


Stress, ansiedade…tenho a certeza que toda a gente já passou por estas sensações. Hoje em dia a vida é cada vez mais intensa, mais agitada e é difícil conciliar toda a nossa rotina sem nos sentirmos cansados e stressados.

O stress não é impelido por mim, não é constante, não tem uma origem identificada, frequentemente é despoletado por situações corriqueiras, sendo que nas graves mantenho a racionalidade, é nas pequenas coisas, nas mais insignificantes que tenho surtos irrefreáveis que vão desde respostas ríspidas à indignação, por vezes com episódios de fúria, sintomas que desaparecem ao fim de poucos minutos.

Conheço a teoria, as dicas e os truques para controlar a situação, mas nas consumições da mente a teoria é muito simples, já a prática, também eu achava que era fácil controlar o stress e a ansiedade, que era uma questão de atitude, de querer mudar, infelizmente não é, a nossa mente não é linear, é complexa, nunca sabemos como iremos reagir a determinação situação.

É possível minimizar, antecipar algumas situações, preparar-nos para outras, mas quando o nosso sistema se encontra desequilibrado, por mais equilíbrio que consigamos atribuir-lhe conscientemente o inconsciente opera silenciosamente e quando menos esperamos faz-nos balançar, ficamos na corda bamba, pendendo de um lado e para o outro, nestas situações acredito que ter uma âncora, um porto seguro, um ponto de referência que nos dá a força necessária para nos conseguirmos equilibrar e seguir lentamente o caminho pé entre pé é fulcral. Ultimamente tenho tentado fugir ao stress com todas as minhas forças. O que não é fácil, pois "ele" está em todo o lado! Quando sinto que ele está prestes a apoderar-se de mim, fujo! Mas fujo mesmo!

O stress muda tudo à nossa volta. Muda-nos a nós, por dentro, e isso muda tudo em nosso redor por fora! É um inimigo poderoso. Que nos invade, nos corroi, nos danifica, nos destrói. E por consequência muda tudo à nossa volta. Não conseguimos ser felizes se nos deixarmos absorver pelo stress. É pura e simplesmente impossível.

O inevitável stress é uma reacção natural e necessária, a nossa resposta mental e emocional às exigências, mudanças e acontecimentos da nossa vida. É difícil defini-lo com exactidão, uma vez que difere de pessoa para pessoa. No entanto, a sensação de descontrolo é sempre prejudicial e pode ser um sinal para abrandar o ritmo de vida.

Ainda que lhe pareça o contrário, adoptar estratégias para uma vida anti-stress é até bastante fácil. Basta para isso que se alimente bem e de forma saudável, descanse o suficiente e faça exercício físico de forma moderada e regular.

Porém, se o seu estilo de vida actual não se aproxima desta realidade não desanime, o primeiro passo é reconhecê-lo. Mais importante ainda é conseguir mudar de atitude. Gerir bem o seu tempo, aproveitar todos os momentos de lazer e, acima de tudo, querer ser feliz ajudá-lo-ão a combater o stress e a encarar a vida de forma mais positiva.

Contudo, há várias atividades simples que podem ajudar a relaxar e são preciosas para a saúde física e emocional, embora nem sempre sejam valorizadas.

Conheça 12 conselhos que o podem ajudar a gerir o stress:

1. Falar com a família e amigos:

Uma dose diária de amizade é um grande remédio. Partilhar a vida com as pessoas de quem gostamos faz-nos atribuir sentido ao dia a dia e suportar melhor as adversidades e contrariedades. Ligue ou escreva aos seus amigos e familiares para partilhar os seus sentimentos, esperanças e alegrias. Se possível passe tempo com

eles visto que é umas melhoras formas de relaxar. 2. Praticar atividade física diária:

A prática de exercício físico permite libertar energias e frustrações e, devido à segregação de endorfinas, que promovem o bem-estar, é por si só um atividade anti-stress. Os adultos fisicamente ativos têm menor risco de depressão e de perda de capacidades intelectuais. A atividade física pode, igualmente, ser uma grande fonte de prazer. Uma simples caminhada ao ar livre pode ser suficiente. 3. Aceitar as coisas que não pode mudar:

Não diga "Estou demasiado velho/a". Ainda pode aprender coisas novas, trabalhar tendo em conta um objetivo, amar ou ajudar os outros. 4. Lembre-se de rir:

Rir é uma boa terapia anti-stress. Procure o riso como forma de viver melhor – rirmo-nos de nós próprios ajuda a descomplicar as situações. Rir fará sentir-se bem. Não tenha medo de rir alto de uma piada, de um filme cómico ou de uma banda desenhada, mesmo quando está sozinho/a. 5. Desista dos maus hábitos:

Muito álcool, cigarros ou cafeína podem aumentar o stress. Se fuma, decida parar agora! 6. Vá mais devagar e reserve tempo para si e para relaxar:

Tente "andar" em vez de "correr". Planeie com antecedência e ganhe tempo suficiente para fazer as coisas mais importantes. Faça uma análise realista do tempo de que consegue dispor para si e obrigue-se a cumpri-lo. Pode fazê-lo com rituais diários que implicam cuidar de si, como tomar banho ou ler um livro antes de se deitar. Verá que rapidamente o relaxamento fará parte integrante da sua rotina.

7. Aprenda a fazer meditação:

Aprender a meditar significa aprender a concentrarmo-nos naquilo que se passa no momento e apenas no momento. Concentrarmos a nossa atenção na respiração e na forma como pensamos e nos sentimos no momento, não só constitui uma excelente forma de relaxar como ajuda a que ganhemos consciência dos mecanismos que permitem controlarmo-nos em situações mais stressantes. A meditação convoca o estado de sossego do organismo (o contrário ao estado de stress). Se dispõe de 10 minutos, medite – verá que começará a encontrar forma de prolongar esse tempo. 8. Durma o suficiente:

Tente dormir de 6 a 8 horas todas as noites. Se não consegue dormir, tome medidas para ajudar a reduzir o stress e a depressão. A atividade física pode, igualmente, melhorar a qualidade do sono. 9. Organize-se:

Utilize a técnica das listas de "coisas a fazer" para ajudá-lo/a a concentrar-se nas suas tarefas mais importantes. Os especialistas defendem que escrever diariamente durante 10 minutos sobre aquilo que sentimos durante o dia ajuda à organização interna e à percepção mais clara dos fatores que nos perturbam. Trate das tarefas mais complexas, uma de cada vez. Por exemplo, comece por organizar apenas uma parte da sua vida — as tarefas relacionadas com o seu carro, mesa, cozinha, armário ou gavetas. 10. Dê aos outros:

Concentrarmo-nos nos outros permite percebermos que o nosso stress advém, frequentemente, de estarmos a dar excessiva importância a um determinado assunto. Se estivermos mais concentrados e preocupados com os outros relativizamos as nossas próprias preocupações. Fazer voluntariado ou dedicar-se mais a um familiar que precise de ajuda podem ser boas opções. Ajudar os outros ajuda-o/a a si. 11. Tente não se preocupar:

O mundo não vai acabar se teve uma discussão com o seu/sua parceiro/a ou um conflito no trabalho ou se a sua cozinha não está limpa. Pode precisar de resolver estas coisas, mas talvez hoje não seja a altura certa.

12. Aprenda a reconhecer os seus limites e a dizer “não”:

Admitir, no local de trabalho, que não consegue realizar algo que lhe seja pedido por estar sobrecarregado ou implique que trabalhe fora das horas de expediente não é sinal de fraqueza nem significa que está a falhar. Explique ao seu interlocutor, de forma diplomática mas firme que, para realizar aquela tarefa específica no prazo pedido, terá de deixar outra para mais tarde ou que terá de pedir ajuda a mais alguém.

#stress #hábitossauudáveis #relaxar

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey