• Ana Carina Nunes

Aromaterapia - O poder dos Óleos Essenciais


Já ouviram falar em aromaterapia? Estou encantada com a descoberta deste mundo de aromas deliciosos e óleos essenciais para a saúde. Este sábado fui a um workshop no supermercado 4Bio dado pelo Bibi Fernandes e por isso, fiz um apanhado geral sobre o que aprendi para quem ainda não conhece. Espero que gostem!

O que é a aromaterapia?

O termo aromaterapia é aplicado a um ramo da fitoterapia: pelo nome, aroma significa cheiro agradável, e terapia tratamento que visa à cura de uma indisposição mental ou física. É uma prática terapêutica que se utiliza das propriedades dos óleos essenciais 100% puros para restabelecer o equilíbrio e a harmonia pessoal. Em toda a história da civilização humana, as plantas medicinais e aromáticas foram utilizadas para purificar e perfumar ambientes, para afastar maus espíritos, tratar de problemas da pele, tratar de problemas físicos como no uso das infusões, nos processos de mumificação no antigo Egipto, nos banhos romanos, etc.

De facto , os aromas desempenham um papel importante nas nossas vidas. Todos nós temos os nossos aromas preferidos e, muito frequentemente, o sentir de um deles pode provocar-nos não só as mais diversas sensações (agradáveis ou não), como trazer-nos até recordações. Aliás, o olfacto parece ser um dos nossos sentidos mais apurados. A aromaterapia consiste precisamente no uso de óleos essenciais ou seja, extractos obtidos de plantas, flores, frutos, troncos, raízes, e resinas, com o objectivo de provocar uma resposta do nosso organismo no sentido de promover o seu equilíbrio e bem-estar e, em alguns casos, tentar melhorar a nossa saúde. Cada óleo essencial tem características próprias e um aroma particular.

E o que são óleos essenciais?

Óleos essenciais são substâncias voláteis extremamente concentradas, que possuem princípios ativos de acordo com suas composições químicas. Dependendo da planta, o óleo essencial terá características diferenciadas de aroma, cor e densidade. Os óleos essenciais podem ser usados diluídos em veículos carregadores sobre a pele, através de massagens, cremes, loções, gel ou puro, através da inalação. Seu objetivo é proporcionar bem estar físico e emocional, já que possui diversos componentes químicos terapêuticos.

Já alguma vez espremeu um limão ou passeou num jardim cheio de flores e desfrutou das fragrâncias que libertam? Se sim, já experimentou um exemplo das qualidades aromáticas dos óleos essenciais. Estes compostos podem ser encontrados na casca, sementes, caules, raízes, flores, e/ou frutos e outras partes de uma ampla variedade de plantas. Além de conferirem o cheiro específico a cada planta, têm um papel importante na protecção e polinização das plantas que contribuem para a manutenção da sua vida já que o seu aroma e propriedades atraem os agentes polinizadores, repelem os predadores e ajudam na regeneração e cicatrização da própria planta. Em geral, são necessários muitos quilos de plantas para extrair uma quantidade pequena de óleo essencial. Por exemplo, para extrair 1 litro de óleo de lavanda, são necessários 350kg de flores de lavanda.

Para as pessoas, além dos aromas agradáveis que libertam, têm muitos benefícios naturais que desde há muito são usados na confecção da comida, em tratamos de beleza bem como em cuidados de saúde. Usando um óleo essencial puro de espectro terapêutico e de elevado grau de pureza são necessárias apenas algumas gotas para sentirmos os seus múltiplos benefícios, o que faz com que este seja o investimento 100% natural mais económico e versátil do mercado. ​​Quando extraídos, os óleos essenciais preservam as suas propriedades protectoras e podem ser usados por nós para diversos fins terapêuticos, bem como para substituir a grande maioria dos produtos sintéticos e tóxicos de uso recorrente (detergentes, cosméticos, aditivos alimentares, etc.)​

Como utilizar os óleos essenciais?

Os óleos essenciais tem várias utilizações, aqui por casa uso-os nos meus difusores para difundir os aromas pela casa. Para mim tem um efeito muito relaxante, contudo enérgico. É difícil de explicar como é que algo consegue relaxar e dar energia ao mesmo tempo… mas é a mais pura das verdades! É mesmo o que sinto! Aquele cheirinho bom relaxa-se no final de um dia de trabalho. Gosto muito de aromas bem intensos, com o Tea Tree, o mentol, limão ou lavanda.

OS óleos essenciais podem ser usados das seguintes maneiras:

AROMÁTICO – Inspire, ou use um difusor para purificar o ar, mantém as vias respiratórias abertas e afeta o humor.

TÓPICO – Aplique na sola dos pés, ou em áreas com problemas. Em pele sensível, dilua usando o óleo de coco fracionado. Mantenha o óleo longe do ouvido e olhos.

INTERNO – desta maneira aplique somente pelos óleos que eu recomendo. A maioria das outras marcas não são puros suficientes para ingerir e muitos podem ser bastante perigosos ao ingerir. Para usar assim, Coloque debaixo da língua, em uma cápsula de gel, ou em água para melhorar a saúde bucal, da garganta, digestiva e geral.

Salvo raras excepções, os óleos essenciais devem ser sempre diluídos, podendo para tal utilizar-se por ex. os óleos de amêndoa doce, germe de trigo e girassol (na proporção de 10 gotas para vinte ml).

Que óleos essenciais existem?

Existe uma grande variedade de óleos essenciais. Contudo, há cerca de vinte a trinta tipos que podemos considerar mais utilizados. De entre estes últimos e, resumidamente, podemos salientar os seguintes:

  • Eucalipto - com características anti-septicas e descongestionantes, este óleo pode ser usado em resfriados, infecções respiratórias e dores.

  • Lavanda - apropriado para casos de insónia, stress, queimaduras e problemas de pele por ser considerado relaxante. Com propriedades relaxantes, quando aplicado nas têmporas e na nuca alivia o estresse. Colocar gotinhas nos travesseiros ajuda a ter uma noite de sono restauradora.

  • Menta - com as suas características refrescantes, estimulantes e digestivas pode ser aconselhado em casos de fadiga muscular, mau-hálito e dificuldades de digestão.

  • Melaleuca (tea tree) - por ser anti-fúngico e anti-séptico pode convir em situações de picadas de insectos e feridas e outros problemas de pele.

  • Ylang-Ylang - conhecido pelo seu aroma sensual e relaxante.

  • Hortelã- pimenta - É um dos mais versáteis: alivia dores de cabeça e ajuda no trato respiratório. Suas propriedades adstringentes são usadas no tratamento da acne, para iluminar a pele naturalmente e ainda para cuidar do couro cabeludo.

  • Laranja amarga - Extraído da casca da laranja, se usado diariamente estimula o metabolismo celular e as funções digestivas, agindo como um tónico estomacal. Por apoiar as funções renais e da bexiga, é indicado no tratamento de disfunções desses órgãos. De aroma extremamente agradável, envolvente e suave, é apropriado para o uso infantil, principalmente nas questões referentes à alimentação, medo, irritação e nervosismo

Este tipo de óleos essenciais tem também efeitos terapêuticos, podem ser usados internamente (por exemplo o digestivo, o de limão que dá para aromatizar bolos ou mesmo em comidas ou bebidas), aromático colocando em difusores, ou topicamente colocando em zonas do corpo onde se tenham dores, para dormir melhor ou para respirar melhor. Alguns deles podem ser usados puros, outros pode ser necessário diluir porque pode causar alguma sensibilidade, toda essa informação vem na embalagem e é muito fácil perceber a utilização de cada um deles.

Segundo a minha opinião e, para além das suas propriedades anti-sépticas, a acção da aromaterapia deriva da sua capacidade de produzir simultaneamente, descontracção e sensação de prazer. A forma como respondemos a estímulos aromáticos - com prazer, desagrado, sensualmente, com ansiedade ou até tristeza - pode influenciar o nosso ritmo cardíaco, tensão arterial, respiração e, até quem sabe, o nosso sistema imunológico. Tal pode ter algum impacto no nosso organismo. Aliás, talvez pelo facto de vivermos em ambientes de stress e cansaço crescentes, a aromaterapia (ao exemplo do que sucede com outras técnicas de relaxação) tem vindo a conquistar cada vez mais adeptos. Prometo que lhe irão melhorar o humor, recarregar energias e minimizar sintomas relacionados à depressão.

No entanto, e para além dos cuidados já referidos atrás, a aromaterapia não deve ser utilizada por grávidas, já que alguns óleos podem ser potencialmente tóxicos, como acontece com o zimbro, salva, e tomilho, entre outros. Para além disso e, embora ela possa ser benéfica para certas patologias, devemos sempre ter em conta que ela não deverá substituir as terapias médicas.

Se quiser experimentar, comece por deitar algumas gotas de lavanda na sua almofada e poderá apreciar certamente os seus efeitos relaxantes. E, se estiver fatigado, porque não tomar um banho de imersão com algumas gotas de óleo de gerânio e rosa.

O assunto aromaterapia é muito vasto, mas espero ter passado uma pequena ideia deste fascinante mundo novo. Se quiser aprofundar este tema, existem inúmeras publicações no mercado.

Bons Aromas para todos!

#aromoterapia #óleosessenciais

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey