• Ana Carina Nunes

Ser saudável


Nos começos de um novo ano chegam sempre uma série de resoluções que queremos tomar para tornar a nossa vida melhor, geralmente uma delas costuma ser “este ano quero ser mais saudável e ter uma vida mais equilibrada".

Mas falar sobre “isto” de ser saudável não é fácil. Não me parece que haja uma fórmula secreta que, seguida à risca por todos, nos faça ser os organismos vivos mais saudáveis de sempre à face da terra. Somos todos tão diferentes que as formas que encontramos para nos sentirmos bem têm de ser também muito distintas umas das outras. O que a mim me faz sentir que estou num caminho saudável não há-de ser o mesmo para outra pessoa e vice-versa e por isso, nesta era alimentar actual em que somos bombardeados com informação por todos os lados, e aparecem dietas milagrosas e livros sobre as mesmas quase como se fossem cogumelos, temos de apurar o nosso sentido crítico e bom senso para perceber o que pode, ou não, funcionar connosco. Posto isto não faz sentido, para mim, vir para aqui dizer-vos o que têm de fazer se querem ser mais saudáveis. O que vou partilhar convosco é aquilo que faço para me sentir saudável.

Falando de um modo generalista, quando digo que sou adepata da dieta paleo tenho duas grandes reacções por parte de pessoas que não lidam diariamente comigo: ou acham que sou anémica, sem forças, doente no geral, porque só como vegetais, ou acham que sou obcecada e super magra! Bom, ser Paleo não significa comer só vegetais, não implica que se é doente ou mal nutrido mas também não é ligação directa a saúde. Dou muitas vezes este exemplo: se eu comer bolachas e bolos paleo, óleo de coco e abacates, ou outras demais comidas processadas que por aí andam, sim, estou a ser Paleo, mas nada saudável!

Actualmente a compra dos "alimentos de verdade" já é algo tão natural na minha vida que nem penso nela, a minha preocupação é alimentar-me de forma a que possa dar ao meu organismo a capacidade de funcionar em pleno e de me fazer sentir bem todos os dias. A frase cliché “somo o que comemos” é mesmo verdade, tudo o que comemos vai, no fundo, fazer parte de cada célula do nosso corpo. E eu quero ser vitaminas, quero ser energia e vitalidade! Não quero ser corantes, adoçantes químicos nem gorduras manhosas. Quero ver no meu prato alimentos verdadeiros, alimentos que sei dizer exactamente o que são! Tento comer o mais variado possível, sempre coisas diferentes ao longo do dia e tomo atenção ao meu corpo e à forma como ele reage, assim consigo adaptar a minha alimentação de acordo com a forma como me vou sentido. O nosso organismo é uma máquina fantástica e se lhe dermos variedade e bons nutrientes, ele vai buscar tudo o que precisa! E se achar que, num dia, estou a comer de forma mais descuidada, no dia seguinte tento voltar ao equilíbrio. Tal como já disse antes, tudo é uma questão de bom senso e também de descontracção.

Na alimentação não deverá existir um certo, um errado, um proibido ou um obrigatório, mas sim procurarmos um equilíbrio que nos proporcione bem-estar. Devemos, efectivamente consumir alimentos naturais, biológicos, nutritivos, frescos e saudáveis, mas além disso, devemos ter prazer com o que ingerimos – de vez em quando cometer um pequeno pecado é bom e deve ser permitido. Com moderação, tudo pode fazer parte da nossa vida.

Evito alimentos com glúten devido a ser intolerante a esta proteína. Evito fritos e açúcar, porque não me fazem bem, nem ao estômago, nem à alma ou mesmo à auto-estima, mas não me meto em dietas loucas. E se me apetecer batata-doce frita? Como! E se me apetecer chocolate? Como também! Para quê ser infeliz? Para quê viver angustiada a pensar que não posso comer nada? Para quê viver uma vida que não é minha?

Mas afinal, o que é ser saudável?

Ser saudável é sentir-me bem com o meu corpo. É estar de bem com a vida, é sorrir todos os dias ao espelho e sorrir ao dizer “Bom dia”, a mim e ao outros. Ser saudável não é sê-lo nas curvas, no rabo e nas coxas, na barriga e no raio que os parta. Ser saudável é ser feliz em cada garfada, ser feliz ao saborear, é desenhar um estilo de vida que é são e possível de viver e que me faz sentir bem.

Ser saudável é ser feliz todos os dias, mas ser saudável na alimentação é saber apreciar com os sentidos o que estamos a comer. E é isso que faço com essas coisas menos saudáveis. Aprecio-as muito mais, porque as como moderadamente. Porque pensar que conseguimos viver muito tempo a cortar tudo o que gostamos da nossa alimentação é errado. Desenha TU o teu plano alimentar. Descobre TU novos sabores, novos horizontes gastronómicos. Torna-te consciente que TU és o que comes, o que fazes, o que sentes, o que pensas, o que vives! Mas o mais importante é o equilíbrio. Ninguém consegue aguentar uma dieta louca durante muito tempo. E de que serve, se formos infelizes? Se depois vamos ganhar tudo o que perdemos num ápice?

Sem dúvida que ter uma vida natural deve ser um desejo de todos nós. Por isso, encontrem o vosso equilíbrio, mantenham-se em forma, sejam ativos, comam alimentos saudáveis sempre acompanhados de um bom azeite, claro ;), mas principalmente sejam felizes e aproveitem as pequenas coisas da vida.

Ser saudável é seres verdadeiramente TU. É saberes escutar o teu corpo e sentires o que te faz melhor ou pior. É viveres equilibrada/o e de bem contigo mesma/o. Ser saudável é ser feliz.

#saudavel #comidadeverdade #paleodiet

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey