• Ana Carina Nunes

Resiliência || Resilience


E no outro dia andava eu em arrumações por entre os meus inúmeros livros quando encontrei um livro de fábulas que a minha mãe me costumava contar quando eu era mais pequena. Uma dessas fábulas fez-me reportar para uma outra ideia sobre a concepção de que a elaboração de ideias, a criação de obras inovadoras e belas ocorre a partir de episódios ou situações que apresentam ou representam em nós algum tipo de dor ou sofrimento por algum motivo. Nessa pequena fábula, o autor conta a história de uma pequena colónia de ostras felizes, mas havia uma delas que era triste porque em sua mucosa havia entrado um grão de areia que lhe causava dor. Enquanto as demais ostras eram felizes e viviam cantando, a excepção era aquela ostra que sofria dores. Como defesa natural da sua mucosa foi criando uma secreção que produziu uma camada de uma substância branca, rígida e lustrosa em torno do grão de areia para minorar e até extirpar a sua dor. Surgiu então uma pérola, admirada por todos, considerada de grande valor e uma obra-prima da natureza. Assim, podemos inferir que na nossa vivência, os factos e motivos que nos causam incómodo, dor ou sofrimento devam ser trabalhados de forma a, partindo deles, produzirmos ideias e obras sobre a vida e sobre o mundo, bem como produzir belos exemplos de superação das dificuldades, do sofrimento e da dor. Fiquei, durante algum tempo, a digerir estas ideias e procurei imaginar outras situações nas quais a natureza também cria beleza e preciosidades consideradas de grande valor pela humanidade a partir de coisas e situações aparentemente insignificantes. Lembrei-me do exemplo do diamante que é formado a partir do carvão que, submetido a grandes pressões e a altas temperaturas, ou seja, uma situação insuportável, apesar do carvão não ser um ser vivo que sente dor ou sofrimento nessa situação, transforma-se num diamante, pedra de rara beleza e de extremo valor, considerada indestrutível ou de capacidade de resistência incomparável. Apesar do carvão não ser um ser vivo, a situação, se nos colocássemos no lugar dele, é análoga à da ostra. Na verdade estas são metáforas que podem, cada uma em seu devido contexto, remeter-nos a pensar que o belo, precioso ou as obras-primas, são produzidos em condições adversas, são produtos de situações desagradáveis, incómodas e de sofrimento e dor. Por isso como dizia um grande filósofo “Faz da tua alma um diamante. Por cada novo golpe uma nova face, para que um dia ela seja toda luminosa”. De facto os diamantes têm várias aplicações práticas em brocas e outro tipo de ferramentas, mas não é isso que os torna tão valiosos. Os diamantes autênticos são tão valiosos por serem raros e difíceis de encontrar. Diamantes têm valor porque é necessário escavar muito para encontrar um. Se eles estivessem espalhados pela rua, não teriam qualquer valor. Na verdade, teríamos que pagar a alguém para limpar a área e recolher todos aqueles diamantes, pois estariam a incomodar-nos. A mesma coisa acontece com o Sucesso. As coisas que vêm fáceis, com pouco ou nenhum esforço, têm pouco ou nenhum valor. Para criar algo de grande valor, geralmente, temos de superar grandes obstáculos. Temos a tendência natural de ligar o “complicómetro automático” para lidar com as situações com que nos deparamos no dia-a-dia, quando estas são geralmente mais simples do que julgamos possível.

Todo o indivíduo é, com maior ou menor frequência, confrontado com situações imprevistas que exigem uma capacidade apurada para lidar com obstáculos e superar dificuldades. É-lhe requerida uma forma de recuperar o equilíbrio na instabilidade e impor de novo a ordem.

A resiliência pode ser vista como uma interação complexa entre determinadas características dos indivíduos com o meio ambiente que os envolve. Não se “nasce” resiliente, esta é uma caraterística fomentada a partir das várias interações que o indivíduo experiencia ao longo da vida, dentro dos diversos círculos em que está incluído – família, escola, cultura, meio social, etc.

O indivíduo resiliente concilia caraterísticas específicas, tais como uma boa autoestima, aptidão para encontrar aspetos positivos mesmo em situações desagradáveis, autonomia, empatia, capacidade de adaptação.

Consegue manter-se sereno em situações de stresse e pressão, e conserva uma relativa estabilidade emocional, não cedendo a impulsos. Regra geral, são pessoas otimistas, responsáveis e flexíveis.

Deste modo, a utilidade da resiliência na vida quotidiana é evidente, uma vez que nos permite retirar algo de bom de situações que, à partida, nos levariam ao insucesso.

Estão a escavar à procura de diamantes, ou somente a mexer na terra de um lado para outro? Procurem por desafios, enfrentem e ultrapassem obstáculos diariamente, pois são eles que criam e acrescentam valor. Não se baseiem numa única solução para todos os problemas, mas procurem novas soluções para os velhos obstáculos. E menos ainda, não se preocupem em encontrar novos problemas para as velhas soluções.

Quando a única ferramenta que temos é um martelo, todos os problemas nos parecem pregos. O martelo é uma boa ferramenta, mas não serve para aparafusar por exemplo. A chave de fendas já nos serve para tal função, mas não serve para cortar madeira. Todas as soluções têm prazo de validade e âmbito de aplicação.

Lembrem-se disso sempre que enfrentarem algum desafio. Os desafios e os obstáculos valorizam o que fazemos ou tentamos alcançar. Quanto mais difícil a conquista, mais valor tem. Sejam criativos, flexíveis e dinâmicos!!!

And the next day I'd been in the middle of my innumerable books when I found a book of fables that my mother used to tell me when I was younger. One of these fables made me report to another idea about the conception that the creation of ideas, the creation of innovative and beautiful works occurs from episodes or situations that present or represent in us some kind of pain or suffering for some reason . In this little fable, the author tells the story of a small colony of happy oysters, but there was one of them that was sad because there was a grain of sand in his mucosa that caused him pain. While the other oysters were happy and lived singing, the exception was that oyster that suffered pains. As a natural defense of his mucosa was creating a secretion that produced a layer of white, rigid and lustrous substance around the grain of sand to lessen and even eradicate their pain. Then came a pearl, admired by all, considered of great value and a masterpiece of nature.Thus, we can infer that in our experience, the facts and motives that cause us discomfort, pain or suffering must be worked out in order to produce ideas and works about life and the world, as well as producing beautiful examples of overcoming Difficulties, suffering and pain. For some time I was digesting these ideas and tried to imagine other situations in which nature also creates beauty and precious things considered by humanity to be worthy of seemingly insignificant things and situations.

I remembered the example of the diamond that is formed from coal, which, under great pressure and high temperatures, that is, an unbearable situation, even though charcoal is not a living being that feels pain or suffering in this situation, A stone of rare beauty and of extreme value, considered indestructible or of unparalleled resilience. Although charcoal is not a living being, the situation, if we put ourselves in its place, is analogous to that of the oyster. In fact these are metaphors that can, each in its due context, remind us to think that beautiful, precious or masterpieces are produced in adverse conditions, are products of unpleasant, uncomfortable situations and suffering and pain. That's why a great philosopher said, "Make your soul a diamond. For each new blow a new face, so that one day it will be all bright. "In fact diamonds have several practical applications in drills and other types of tools, but that is not what makes them so valuable. Authentic diamonds are so valuable because they are rare and hard to find. Diamonds have value because you need to dig a lot to find one. If they were scattered across the street, they would be worthless. In fact, we would have to pay someone to clear the area and collect all those diamonds as they would bother us.

The same thing happens with Success. Things that come easy, with little or no effort, have little or no value. To create something of great value, we usually have to overcome great obstacles. We have a natural tendency to connect the "automatic complicometer" to deal with the situations we face on a day-to-day basis, when these are usually simpler than we think possible.Every individual is, to a greater or lesser extent, confronted with unforeseen situations that require an accurate ability to deal with obstacles and overcome difficulties. He is required a way of regaining his balance in instability and imposing order again.

Resilience can be seen as a complex interaction between particular characteristics of individuals with the surrounding environment. It is not resilient, this is a characteristic fomented from the various interactions that the individual experiences throughout the life, within the diverse circles in which it is included - family, school, culture, social environment, etc.The resilient individual reconciles specific characteristics such as good self-esteem, ability to find positive aspects even in unpleasant situations, autonomy, empathy, adaptability.

He is able to remain calm in situations of stress and pressure, and maintains a relative emotional stability, not yielding to impulses. They are generally optimistic, responsible and flexible people.In this way, the usefulness of resilience in daily life is evident, since it allows us to withdraw something good from situations that would lead us to failure at the outset.

Are you digging for diamonds, or just tinkering the earth from side to side? Look for challenges, face and overcome obstacles daily, for they are the ones who create and add value. Do not rely on a single solution to all problems, but look for new solutions to the old obstacles. And even less, do not worry about finding new problems for old solutions.

When the only tool we have is a hammer, every problem looks like nails. The hammer is a good tool, but not for screwing for example. The screwdriver already serves us for such a function, but it is not suitable for cutting wood. All solutions have a validity and scope.

Remember this whenever you face some challenge. Challenges and obstacles value what we do or try to achieve. The harder the conquest, the more value it has. Be creative, flexible and dynamic !!!

#resiliencia #persistencia

0 visualização

© 2017 por Saudavel-mente

Todos os direitos reservados 

Site criado pela Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey